Automobilismo F1

O mago das Astúrias ressurge na #F1

08/07/2020

O mago das Astúrias ressurge na #F1

Ele voltou! Sim, o mágico retornou. Um dos melhores pilotos da F1 em sua história recente. Fernando Alonso assinou contrato com a equipe Renault para a temporada de 2021 e será certamente uma das atrações da categoria máxima aos 39 anos de idade, a serem completados neste mês. O acordo representa a terceira passagem do piloto espanhol pelo time francês, onde ele conquistou dois títulos mundiais.

O contrato entre Alonso e Renault se estabeleceu no famoso formato 2 + 1. Ou seja, serão dois anos de acordo com a opção de mais uma temporada se as partes concordarem. Os honorários não são exatamente conhecidos, mas a imprensa espanhola especula que os vencimentos do asturiano giram em torno dos 12 milhões de euros/ano. Parece muito, mas é a metade do que ganha Daniel Ricciardo – que vai à McLaren em 21. Quer dizer, os franceses estão economizando na realidade.

Salvo exceções, como aconteceu com a equipe Brawn GP em 2009, a Renault não terá um carro campeão no ano que vem. Porém, deverá contar com um equipamento mais competitivo do que aquele que Fernando teve em suas últimas temporadas na Fórmula 1. E o espanhol parece tranquilo com essa situação. Ele já afirmou que está comprometido com o projeto e os objetivos do time. A ver. Vide confusões na McLaren, Ferrari e… McLaren… de novo.

Em princípio, avaliando esse retorno, se a Renault entregar um carro a Alonso capaz de subir no pódio, ele vai subir no pódio. Se o carro tiver potencial para ser a terceira força no Mundial de construtores, Fernando vai brigar por isso. O piloto tem muito a entregar. Por isso, sorte da Renault, da F1 e dos torcedores. Em contrapartida, o espanhol (qualquer piloto, aliás) precisa sentir-se competitivo sob pena de exatamente deixar de ser.

A assinatura de contrato também acalma os rumores incessantes, até pouco tempo atrás, da saída da equipe Renault da Fórmula 1. Clotilde Delbos, a presidente mundial do Grupo Renault/Nissan, já havia se comprometido em manter a operação da marca na categoria. A contratação de Alonso atesta esse engajamento por, pelo menos, mais três anos. Este (2020) e os próximos dois. Contudo, o mundo corporativo é desmedidamente movido a resultados.

Neste ano, o principal compromisso nas pistas de Fernando Alonso será a disputa das 500 Milhas de Indianápolis. A prova acontecerá em agosto e o espanhol tenta, pela terceira vez, conquistar uma das corridas mais importantes do automobilismo. Como já fez com as 24 horas de Le Mans, que venceu duas vezes no geral.

Rogério Elias, jornalista, fundador ao Amigos da Velocidade ao lado de Téo José, comentarista de Esportes a Motor, professor de jornalismo e palestrante. @RogerioElias.

COMPARTILHE:

Jornalista. Abril, UOL, Yahoo, Estadão, Correio Paulistano.
Comentários