F1

#Max: o menino quer status de Homem na #F1

01/07/2020

#Max: o menino quer status de Homem na #F1

Olhem, Max Verstappen desembarcará no velho Österreichring, na pequena vila de Spielberg, esta próxima à cidade de Zeltweg, na Estíria, Áustria, realmente como favorito à vitória no primeiro GP da temporada 2020 de Fórmula 1. Talvez não como “O” favorito. Mas certamente como um dos. E não são lá muitos nessa condição.

O antigo circuito A1 Ring, hoje batizado de Red Bull Ring, pertence à empresa de bebidas energéticas que dá sobrenome ao autódromo. A companhia, lembrando: austríaca, também é proprietária da equipe de Verstappen. Esses motivos deixam todos esses personagens, incluindo a torcida, bastante animados para o GP da Áustria.

Max venceu as duas últimas corridas na Áustria. E ainda foi 2º em 2016. O holandês se encaixa muito bem na pista. Trata-se de uma daquelas ‘químicas’ entre piloto e traçado, longe de ser rara, que proporcionam sempre boas corridas. Não falo necessariamente de vitórias. Mas, sim, desempenhos bem acima da média por conta desse complô competidor e autódromo.

Em 2020, Verstappen chega motivado. A Red Bull está motivada. Alie-se a isso a confirmação da escuderia de atualizações importantes nos dois carros – incluindo nos motores Honda – que os tornariam ainda mais fortes que os modelos da poderosa equipe Mercedes, a dona dos últimos seis títulos de construtores da F1 de forma consecutiva.

Vale evocar que no calendário 2020, remodelado por causa da pandemia de Covid-19, teremos dois GPs austríacos na sequência e no espaço de uma semana. Um no dia 5 de julho e o outro no dia 12. De fato, trata-se de uma chance inédita para Max Verstappen não apenas vencer duplamente em Zeltweg, mas igualmente colocar-se na briga pelo título de pilotos com densidade.

A verdade é que a Red Bull, durante os treinos preparatórios antes do início da temporada, mostrou um ritmo/velocidade muito animador e já despontava como a principal oponente da Mercedes. O modelo RB16 e o motor Honda RA620H formaram um conjunto com confiabilidade, manejo e velocidade que o credencia para o título.

A atipicidade do campeonato 2020, por enquanto com 8 etapas, quatro delas em rodada dupla, transforma-se em outro fator ‘positivo’ (classifiquemos assim) para pilotos do calibre de Lewis Hamilton e Max Verstappen. A aposta inicial está na imprevisibilidade da temporada e no, consequente, equilíbrio. Isso colocaria mais pilotos na briga pelo título mundial.

A ver.

Rogério Elias, jornalista, fundador ao Amigos da Velocidade ao lado de Téo José, comentarista de Esportes a Motor, professor de jornalismo e palestrante. @RogerioElias.

COMPARTILHE:

Jornalista. Abril, UOL, Yahoo, Estadão, Correio Paulistano.
Comentários