Sem categoria

São Paulo mais perto da #F1. E por dez anos.

11/05/2020

São Paulo mais perto da #F1. E por dez anos.

Nada está decidido. Tudo pode mudar. Uma frase frustrante quando se pensa em jornalismo. Pior ainda, quando se pensa em decisão. Mas, de acordo com a organização do GP Brasil de F1 em Interlagos, São Paulo está muito próximo de renovar o acordo com a categoria-mor do automobilismo por mais dez anos. O novo contrato, a ser firmado no final de maio, confirmaria o Grande Prêmio na pista paulistana até a temporada 2030.

A prefeitura da cidade pretende voltar a pagar a taxa anual exigida pela organização do campeonato mundial. No caso, cerca de US$ 20 milhões. O valor varia de país para país. O Brasil estava liberado desse compromisso desde 2017. Além da taxa, a prefeitura arcaria com todos os demais investimentos necessários para a realização da prova no autódromo internacional José Carlos Pace.

Rio

Tamas Rohonyi, o promotor da prova brasileira, está muito animado com o avanço das negociações com os chefões da F1. Tanto que acredita na assinatura do novo acordo até o final deste mês. Porém, a categoria já deixou claro que negocia também com a prefeitura do Rio de Janeiro. A ideia fluminense é construir, bancado pela iniciativa privada, um autódromo na região de Deodoro.

Mas nada, ainda, saiu do papel e isso pode prejudicar as negociações. Por outro lado, fontes ligadas à F1, a organização de São Paulo e à organização do Rio, sugerem que a prefeitura carioca poderia oferecer o triplo do valor da taxa anual. Ou seja, pela referência de São Paulo, cerca de US$ 60 milhões (algo como 345 milhões de Reais). Esse “detalhe” pode ter peso importante na negociação com a categoria.

2020

Devido a pandemia de Corona-Vírus, o GP Brasil de F1 deste ano pode nem acontecer. A Liberty Media, dona da categoria, pretende anunciar um novo calendário 2020 em breve já que dez provas marcadas para a atual temporada ou foram canceladas ou postergadas. A intenção é começar o campeonato em julho. Mas isso depende do avanço/contenção da Covid-19 no mundo e das regras sanitárias a serem impostas por cada país.

Se tudo ocorrer conforme os promotores da F1 pretendem, a categoria deverá concentrar suas provas na Europa e América do Norte. Uma questão lógica por conta dos custos de transporte e outros envolvidos. Países mais distantes do euro-centro, aí entra o Brasil, podem perder o privilégio de receber uma corrida em 2020. Todavia, da mesma forma que iníciamos a reportagem, nada está decidido. O martelo não foi batido.

Tanto que a organização do GP Brasil pretende iniciar a venda de ingressos para a prova deste ano no final deste mês de maio. A largada da etapa está programada para o dia 15 de novembro.

COMPARTILHE:

Jornalista. Abril, UOL, Yahoo, Estadão, Correio Paulistano.
Comentários