Automobilismo F1

Será que Daniel Ricciardo seguirá o caminho de Alonso na F1?

27/06/2018

Será que Daniel Ricciardo seguirá o caminho de Alonso na F1?

Mesmo ainda não tendo sido campeão do mundo de Fórmula 1, algo incontestável é o talento do piloto australiano Daniel Ricciardo, que por diversas vezes subiu ao pódio, vencendo corridas com a categoria dos grandes campeões. Sempre sorridente, mas do mesmo modo sempre concentrado no trabalho de pilotar e trazer bons resultados para a equipe, Daniel age sempre com o objetivo de cumprir bem o seu papel. Em sua carreira no automobilismo é algo  raro apontar erros de pilotagem.

Agora com o acordo da Red Bull com a Honda, Ricciardo tem em suas mãos uma ingrata tarefa: optar por continuar com a equipe austríaca ou partir rumo a uma equipe que lhe dê condições de ser efetivamente campeão. No paddock, os rumores sugerem interesse das equipes Mercedes, Ferrari e McLaren. Esta último, por sinal, teria feito uma proposta salarial de US$ 20 milhões/ano para contar com o “aussie”.

Projeto

O projeto da Honda na F1 não é mera aventura dos japoneses e é conhecido por todos o potencial da montadora nipônica. Porém, nada garante que em 2019 ela seja capaz de entregar um motor que faça frente aos trens de força da Mercedes e Ferrari, que hoje dominam a categoria. Não se sabe, ao menos, se igualam o propulsor Renault – responsável neste ano por duas vitórias de Ricciardo.

Num passado bem recente vimos Fernando Alonso jogar pela janela as possibilidades de se tornar tricampeão (ou mais) na categoria, ao escolher a McLaren no momento que a Honda estava chegando a equipe. Alonso passou três anos a ver navios e neste, mesmo já com motores Renault, se quer consegue obter os resultados parecidos com aqueles que colhe a RBR.

É bem verdade que hoje Ricciardo goza de um status (informal) de piloto principal da equipe, pois teve capacidade e jeito para ganhar todos do time através dos seus resultados e do carisma. Alonso, não pelos mesmos caminhos, goza de igual posição na equipe McLaren, mas isso não lhe garante vitórias. E mais longe ainda: títulos.

Não há muitos cockpits competitivos disponíveis neste momento. O provável e possível lugar seria na Ferrari, de Sebastian Vettel, que domina o time incontestavelmente e isso pode ser um entrave. O time vermelho, talvez mais que os demais, escolhe quem é o número 1. Ricciardo seria o número 2 e, pela lógica de competição italiana, não teria condições de lutar pelo tão esperado título.

Por outro lado, nos tempos que correram juntos, Ricciardo deu um trabalhão para Vettel nas pistas. Este pode ser um ponto que a Ferrari poderia levar em consideração, pois dois pilotos dentro da equipe brigando pelo título já é meio caminho andado para se tornar campeã de construtores.

O piloto de 27 anos tem muito o que pensar. Dependendo do rumo que der agora em sua carreira, a possibilidade (ou não) de ser campeão aumenta ou diminui. Só não vale pedir conselhos para o espanhol…

Por Márcio de Luca Souza Lima – Colunista Esportivo na Conteúdo Motorsport

COMPARTILHE:

Jornalista. Abril, UOL, Yahoo, Estadão, Correio Paulistano.
Comentários