F1 Fórmula E Indy 500 IndyCar

Brasileiros seguem como referência importante na Velocidade em 2018

06/06/2018

Brasileiros seguem como referência importante na Velocidade em 2018

O automobilismo é muito maior que a F1. Claro, não há dúvidas de que esta categoria  é a expressão máxima dos Esportes a Motor. Seja em termos de mídia, marketing e tecnologia. Mas não necessariamente no quesito competição. Aliás, quando mais longe da Fórmula 1 estivermos (provavelmente) maior será o nível de competitividade. E correr em categorias mais equilibradas é uma arte. O trabalho do piloto é muito mais intenso no acerto do carro, no entendimento da pista, do fim de semana, do clima e na habilidade de guiar em meio a tudo isso e entre seus adversários.

Por isso, cada vitória alcançada é importante e significa o empenho de muita dedicação e trabalho.

Placar Velocidade Brasil

Não temos representantes nessa temporada na F1. Por outro lado, nossos pilotos estão espalhados pelo mundo, em várias categorias, seja para aprendizado ou pela pura competição, conquistando ótimos resultados. O Placar Velocidade Brasil pretende mostrar esse trabalho impecável dos brasileiros nas pistas e, também, deixar claro que ainda somos uma referência quando o assunto é automobilismo.

A essa altura de 2018, os pilotos brasileiros já conseguiram 14 vitórias em provas internacionais. E mais: foram 15 pole positions, 18 voltas mais rápidas, 51 pódios e mais 6 hat tricks (quando o piloto passa a régua e sai da pista com pole, vitória e volta mais rápida). Estamos falando de Fórmula E, a categoria que mais cresce no planeta, de SportsCars nos EUA, de Fórmula 2, F4 italiana, Pro-Mazda, IndyCar… e por ai vai.

Destaque para o promissor Caio Collet que já acumulou 11 pódios nesse ano, com três vitórias, e ele lidera a F4 Francesa. Na última etapa do campeonato, disputada no circuito de Spa-Francorchamps, Collet conquistou uma pole position e um segundo lugar. “Sem dúvida alguma, esse final de semana foi de muito aprendizado”, declarou o jovem de 16 anos de idade.

Outro piloto digno de nota é Felipe Nasr, cuja a última vitória havia ocorrido na antiga GP2 em 2014. Mas ele voltou ao lugar mais alto do pódio, no último fim de semana, em Detroit (EUA), em mais uma etapa do WeatherTech SportsCar Champinship da IMSA. “Levou algumas corridas, mas eu consegui”, disse Felipe que pilotou, em dupla com Eric Curran, um protótipo Cadillac DPi. Nasr esteve na F1 entre 2015 e 2016.

O veterano, mas muito rápido, Hélio Castroneves foi segundo colocado nesta prova da SportsCar em Detroit. E, ao lado de Rick Taylor, venceu a etapa anterior em Mid-Ohio no início de maio, a bordo de um protótipo modelo Acura DPi. Além disso, Hélio disputou as 500 Milhas de Indianapolis, pela Formula Indy, e na corrida mais emblemática dos EUA cravou a Volta Mais Rápida na edição 2018.

O desempenho dos brasileiros até agora está longe de ser mediano. Seguiremos observando a temporada, anotando, somando e analisando.

Por Guilherme Baptistella 

#7 Acura Team Penske Acura DPi, P: Helio Castroneves, Ricky Taylor, pódio.

COMPARTILHE:

Jornalista. Abril, UOL, Yahoo, Estadão, Correio Paulistano.
Comentários