Destaque F1

A nova F1

09/05/2018

A nova F1

Pela 1.047ª vez, em minha carreira como jornalista especializado em automobilismo, a F1 tentará mudar para se tornar mais atraente, mais equilibrada, mais competitiva. O histórico me deixa com o pé atrás se acontecerá.

Por outro lado, a ponta de esperança é que a categoria tem novos donos. A norte-americana Liberty Media. Quem sabe paradigmas sejam quebrados. A ver.

No Bahrein, onde acontece a segunda etapa da temporada 2018, nesse domingo, a Liberty Media apresentou uma lista de propostas para o campeonato de 2021. Um resumo rápido do que interessa:

  • Motores: querem diminuir custos, querem que sejam mais simples e querem que tenha um som melhor. Perfeito. Esses trambolhos atuais, híbridos, custam uma fortuna em dinheiro e tempo de desenvolvimento e manutenção. Uns aspirados V8 dariam conta desse recado. Mas, a Liberty quer o motores da F1 pautando as montadoras e os carros de rua.
  • Regulamento: as regras (esportivas e técnicas) deveriam beneficiar a competição, as ultrapassagens. Expressamente, a Liberty fala que “os projetos dos carros” deveriam caminhar nessa direção. Lindo. “A habilidade do piloto deve prevalecer”. Mais lindo ainda.
  • Carros: ainda na parte de regulamento, mas quero destacar essa parte, porque o blog é meu e faço o que quero, a Liberty sugere que os carros “devem e serão diferentes uns dos outros”. Olha só! Ótima proposta! E com performance diferente em termos de suspensão, aerodinâmico e motor. Isso é um ponto muito legal.
    Vamos aguardar. Como eu disse, muitas mudanças já foram propostas ao longo dos últimos 20 anos. Mas a F1 parece que sempre está patinando nisso. A ver.

COMPARTILHE:

Comentários